ONG cria corrente virtual para ajudar população ribeirinha em Porto Velho

O Núcleo de Apoio à População Ribeirinha da Amazônia (NAPRA), há mais de 20 anos atua nas comunidades ribeirinhas, mas em 2020, por conta da pandemia do novo coronavírus, a ajuda presencial teve que ser suspensa temporariamente.

Para continuar ajudando as comunidades, os voluntários criaram um financiamento coletivo, por meio de uma vaquinha virtual, para prestar apoio emergencial aos ribeirinhos de São Carlos do Jamari, Cavalcante, Resex Lago do Cuniã e Nazaré.

Segundo a ONG, o dinheiro arrecado será destinado para compra de cestas básicas, produtos de higiene e para confeccionar máscaras de proteção, que serão feitas pelas costureiras das próprias comunidades.

A meta é arrecadar pouco mais de R$ 26 mil, até agora arrecadaram R$ 16 mil reais.

Vivências de voluntários e ribeirinhos

Sândila Alves, ribeirinha da comunidade de São Carlos, conta as dificuldades vivenciadas com a pandemia do coronavírus.

“As comunidades ribeirinhas vivem muito das tradições, dos festivais, mas infelizmente a pandemia afetou muito as comunidades, muitos foram infectados e estão sendo infectados. Inclusive na comunidade de São Carlos houve óbito de uma pessoa que trabalhava na linha de frente, era um agente comunitário de saúde”, conta.

A estudante de Engenharia Ambiental, Julia Martins, está no projeto desde 2016 e é voluntaria na Comunidade de São Carlos. Para ela, o trabalho é uma troca, onde os voluntários aprendem muito e tentam levar o máximo de apoio que podem.

“Trabalhei com projetos de educação, saúde, saneamento e ambiental, e todo o cotidiano com as comunidades enriquecem muito. Todo mundo que a gente consegue alcançar, durante e depois da atuação, trazem uma troca boa, a gente aprende muito com eles e tenta levar o máximo de apoio que a gente pode. Agora com essa pandemia nossa atuação teve que se reinventar”, compartilha.

“Vivenciar o NAPRA para todo que passa por ele é muito importante e enriquecedor e potente. É importante pro nosso papel enquanto individuo, causa reflexões e questionamentos do que é viver em comunidade”, diz Tainã Pais, psicóloga que atua no projeto desde 2017.

O NAPRA é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é de apoiar comunidades ribeirinhas do Baixo Madeira, sendo elas: São Carlos do Jamari, Cavalcante, Resex Lago do Cuniã e Nazaré e também de promover a formação de profissionais e estudantes para atuação comunitária no contexto amazônico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.